sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Arte Terapia: Arte com arte na escola

De Projetos Pedagógicos Dinâmicos
Confira toda a matéria em:http://www.projetospedagogicosdinamicos.com/arte_terapia.htm


A arte é, entre todas as atividades, a que agrega de modo mais eficiente os aspectos racionais e criativos do ser humano.
Ao desenvolver uma atividade artística, o sujeito não só estará interferindo na realidade, como também estará estruturando-se de forma mais adequada, saudável e eficiente.
Através das diversas manifestações artísticas, as pessoas podem se expressar de uma forma própria e singular e superar as mais diversas barreiras da comunicação.
Utilizando-se de todas as expressões artísticas e com recursos simples e muito eficientes a arte terapia favorece o desenvolvimento e à superação de limitações pessoais, buscando-se assim o aumento do repertório de habilidades, a melhor estruturação da personalidade, o aumento do horizonte de interesses, a composição de novos objetivos e a melhor habilidade em lidar com os seus próprios conflitos.
Muitas instituições voltadas para a inclusão social utilizam a arte, como importante meio educacional. . Onde outras metodologias falharam a arte alcançou resultados significativos, principalmente ao atrair espontaneamente meninos e meninas para outras atividades educativas e sociais.

“As muralhas estéticas definiam o território fechado de uma certa forma de ócio elegante. Mas esse lazer ocioso, essa utilização do tempo livre, não foram dados a todos por igual dentro da sociedade: constituíram-se em privilégio das classes sociais favorecidas, que foram também as classes sociais dominantes. (Porcher, 1982, p. 13)
A educação escolar deve assumir, através do ensino e da aprendizagem do conhecimento acumulado pela humanidade, a responsabilidade de dar ao educando o instrumento para que ele exerça uma cidadania mais consciente, crítica e participante. (Ferraz e Fusari, 1993, p. 33 e 34).

Através de projeto educativo integrando todas as disciplinas é possível junto com o professor de artes trabalharem de forma significativa com o objetivo de atrair alunos para que possam desenvolver a aprendizagem, e recuperar sua auto-imagem. Atividades simples tais como a hora do conto, desenhos, interpretação oral e escrita , dramatização dos personagens ou seja através de arte terapia interativa.

Um exemplo deste trabalho foi desenvolvido em uma escola da rede municipal com crianças de 4ª serie. A atividade teve com objetivo resgatar auto-imagem de alunos com dificuldades de leitura e escrita par tanto a professora utilizou-se da hora do conto, tão importante para o desenvolvimento do psiquismo infantil; onde o aluno é autor e co-autor do conto.

Enquanto co-autor um narrador de um lado, e de outro lado o autor contador de historia, e de outro lado o ouvinte, deu-se importância para oralidade. Em seguida para rescrita do conto e leitura desta produção. Num terceiro momento a representação desse personagem e seu  
significado para o aluno quer seja através de desenho, musica, fantoches, e/ou a dramatização. O educador deve estar atento “saber olhar para saber escutar” para que possa observar o comportamento dos alunos frente a cada passo resgatando sua auto-imagem e de fato favorecendo o aprendizado assim com Adrian Hills alcançou seu crescimento é possível com sensibilidade e com arte para a arte atingir o que desejamos: formação de sujeitos autônomos.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Brincar é preciso!


Poucas coisas terão tanta importância para o desenvolvimento de uma criança, como o ato de brincar.  


Podemos ser levados a pensar que o jogo não passa de um modo de passar o tempo, mas é inequivocamente, muito mais que isso. O jogo surge-nos como a mais espontânea atividade infantil, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento das diversas facetas da personalidade.
A função do jogo é auto-educativa. É através dele que a criança cresce e evolui para a adolescência e para a maturidade.
Psicomotricidade e atividade intelectual
O brinquedo favorece o gesto, a coordenação de movimentos e o controlo. Ao jogar ao berlinda, por exemplo, as crianças tentam adquirir alguma precisão ao nível do toque, para que não percam. Esta precisão é de extrema importância para a coordenação motora.
Ao mesmo tempo, a atração pela cor ou pela forma, a sua correta utilização e, em alguns jogos didáticos, a possibilidade de seriação (do maior para o menor; encaixes de cores e tamanhos distintos), permite favorecer o desenvolvimento de formas de pensamento cada vez mais complexas.
A criança aprende a conhecer, armazena dados na memória e estuda a relação causa-efeito. Deste modo encontra novas estratégias para solucionar problemas e aprende a controlar emoções. 

Autora recorre à imaginação para abordar a morte em livro infantil


Autora recorre à imaginação para abordar a morte em livro infantil

A obra de Teresa Lobato de Faria acaba de chegar às livrarias



A “História do Sempre e do Nunca”, inserido na coleção Histórias Terapêuticas, da Oficina do Livro, tem como objetivo orientar o desenvolvimento saudável das crianças, através do mundo maravilhoso da imaginação.
Destinada a crianças e adultos que se encontram sensibilizados pelo tema da morte, a obra tem um enredo aliciante: a morte da rainha leva o rei a deixar de acreditar em fadas e em toda a esperança e felicidade que existe no mundo. Mas a princesa Inis, sua filha, quer lutar contra esta ideia do seu pai e, ao descobrir os muitos segredos que o bosque e as fadas guardavam pelos tempos fora, consegue reconquistar a felicidade e espalhar esperança não só pelo seu reino, mas por todo o mundo.
Teresa Lobato de Faria é licenciada em psicologia pela Universidade de Lisboa e pós-graduada em aconselhamento educacional e psicoterapia com crianças e adolescentes.

AVISO


Nem todas as imagens no blog são de minha autoria, se uma delas for sua e não quiser que eu a use, entre em contato que coloco os devidos créditos ou retiro.