sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A estrada da sua vida.Creativity in Therapy: The Road of Your Life-

Creativity in Therapy: The Road of Your Life

Na semana passada eu estava na estrada muito, movendo-se da Califórnia para o Texas. Com esta jornada em minha mente, eu pensei que eu iria compartilhar sobre uma intervenção arte-terapia para representar a vida como uma estrada. Eu costumo dar ao cliente um aviso que diz algo assim: "Imagine sua vida é como uma viagem ao longo de uma estrada Desenhar uma imagem para representar o que este caminho seria semelhante Pense sobre os acontecimentos importantes as que aconteceram até agora e onde.. você espera ser a posição. " Esta intervenção pode ser usado com crianças ou adultos. Tenho muitas vezes utilizado esta intervenção para o início do tratamento para ajudar a reunir informações sobre o histórico do cliente e objetivos futuros, bem como para ajudar o cliente a colocar sua situação atual no contexto. Eu também tenho usado essa atividade recentemente com uma criança para ajudar na transição para outro terapeuta. Depois de criar sua obra de arte estrada, ele foi capaz de ter uma peça de transição e linha do tempo que ele poderia usar para preencher o novo terapeuta sobre as pessoas importantes e eventos em sua vida. Aqui estão alguns exemplos de obras de arte sobre a vida como uma estrada. Por favor, note que, para proteger a confidencialidade eu nunca postar trabalhos artísticos cliente real. As duas primeiras peças são vagamente baseado em temas e imagens que tenho visto na arte do cliente. A terceira peça é baseada em minha própria vida e transições. Você já tentou esta intervenção com seus próprios clientes ou para si mesmo? Por favor, compartilhe seus pensamentos, experiências e comentários!






quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Expondo os desenhos das crianças (Idéias)

Tampas de caixas

Idéia para expor os desenhos das crianças sem custo de moldura.
E ,melhor,podendo trocar vez ou outra os desenhos.(Valorização dos trabalho feitos pelas criança.(Auto-estima em alta.)

Escolhendo um cantinho especial.

Plastificando um desenho.(Jogo americano)
Decorando sacolas.

Pintando uma camiseta.

Criando cartões.

Escolhendo uma parede.Criando uma galeria de arte em casa.

A criança ao desenhar desenvolve a auto-expressão e atua de forma afetiva com o mundo, opinando, criticando, sugerindo, através da utilização das cores, formas, tamanhos, símbolos, entre outros. 



domingo, 23 de setembro de 2012

Filmes: Em frente da classe


O filme é uma historia incrível de um homem que lutou desde criança contra o preconceito. Um preconceito que partia até da sua própria família, só sua mãe descobriu qual era sua doença e o ajudava. Brad fez com que todos vissem que era possível ele tornar seu sonho de ser professor em realidade.

Provou que certas limitações não nos fazem menores e inferiores, elas são exatamente aquilo que precisamos para nos impulsionar e ajudar a nos tornarmos mais fortes e seguir sempre de cabeça erguida. Brad ganhou o prêmio de professor do ano.

O filme é baseado na historia de Brad Cohen, um professor americano que possui a síndrome de Tourette desde seus 6 anos de idade. Para quem não sabe, a síndrome de Tourette consiste em uma desordem neurológica ou neuroquímica expressada na forma de tiques e afeta mais homens do que mulheres.
Assisti ontem.vale a pena ver,você vai se emocionar!

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Valor terapêutico dos materias artísticos


Cada material mobiliza conflitos,
trazendo-os a tona para uma nova organização.
A escolha de um material é um dado importante para o arte terapeuta.
O material plástico é instrumento para expressar
 como sente a pessoa ,no momento que faz uso do mesmo.Projeta conflitos,emoções,sentimentos,desejos.
a cada sessão a escolha do material a ser usado pode ser feita pela própria pessoa ou sugerido pelo arte terapeuta.
Ele vai ajudar no despertar da sensorialidade,percepção,o nosso querer,o nosso realizar.

No processo de envelhecimento, o principal foco é fazer com que o idoso se RECONHEÇA, pois o idoso já se conhece, ele conhece os seus comportamentos, sua personalidade, basta relembrar. No entanto, muitas vezes, ele se conhece pelo outro, c
omo o outro o vê, “você é assim”. Será que eu sou assim? A Arteterapia oferece a oportunidade do idoso recomeçar a si ver, de perceber como a sociedade o vê, de posicionar-se não como um incluído na sociedade, mas como um cidadão permanente numa sociedade que ele não saiu, como um tesouro de sabedoria que enriquece aqueles que o cercam.

"Ao pintar, o seu Eu é constantemente convocado a tomar decisões – que cor escolher, onde e quanto colocá-la. Se o resultado desta ação não agradar, há de se escolher outra cor, arriscar uma outra composição. Movimento e coragem interior sã
o requisitados. Quando tudo isto se estende dos pínceis e papéis para o dia-a dia, um passo (ou vários) em direção à cura terá sido dado."
Matéria publicada no boletim da AURORA, Associação Brasileira de Terapeutas Artísticos Antroposóficos).

O caminho criativo em arteterapia tem o propósito de concretizar, dar forma e materialidade ao que é intangível, difuso, desconhecido ou reprimido. Sonhos, conflitos, desejos, afetos, energia, psíquica que é bloqueada e precisa liberar-se e
 fluir, ganhar concretude e poder plasmar e configurar símbolos, que assim, cumprem sua função de comunicar, estruturar, transformar e transcender. (Philippini, 2008, p. 65)
Compartilhado de:http://arteterapiartecomterapia.blogspot.com.br/2011_09_01_archive.html

sábado, 15 de setembro de 2012

O QUE TEM DENTRO DE MIM QUE EU NÃO VEJO


Por Cynthia Alves

Marisa tem um monte de coisas dentro de si que ela não vê.

Juliana também. E Carolina.

Mas o que elas têm dentro de si que elas não vêm?

Juliana responde: Tenho amor. O amor a gente não vê. Só sente.

Carolina concorda. Amor, alegria, esperança estão dentro da gente.

Isso se chama SENTIMENTO.

Marisa pensou em algo diferente.

Eu tenho todos os pássaros, todas as flores, todas as nuvens e primaveras que já vi algum dia. Eu os tenho dentro de mim. Isso se chama MEMÓRIA”.
Juliana e Carolina sorriem! Como não haviam pensando nisso? Todos os dias ensolarados estão em suas memórias. As viagens, o dia em que Juliana machucou o joelho, os lanches na casa da avó...Que bacana! Elas os têm dentro de si.

Mas que coisa interessante é a nossa cachola, diz Carolina!

Tanta coisa, tanta coisa...completa Juliana.

Coisas simples e complicadas, reflete Marisa!

A professora interrompe a conversa e propõe uma atividade.

Hoje vocês farão um desenho sobre o que tem dentro de vocês que vocês não vêm.

Marcello contesta: “Se eu fechar os olhos, eu vejo!!!”

“Muito bem. Marcello!” Responde a professora. “Isso se chama IMAGINAÇÃO.”

Imaginar é colocar a nossa memória pra funcionar. Todas as coisas que guardamos.

“E quando o que eu vejo está fora?” Pergunta Marcello.

É chamado de PERCEPÇÃO”, responde a “fessora”.

As cores, os sons, os sabores são todos percepção.

Acontecem através dos sentidos: visão, olfato, audição, paladar e tato.

As crianças começam a atividade e logo percebem que precisam de tinta para desenhar.

A professora sorrindo completa: Isso se chama ARTE.

A arte é colocar lá fora o que está cá dentro.

Marieta pintou o sonho que teve esta noite.

Isto ainda é mais complicado!

O sonho, será que ele existe?

O sonho é uma mistura do que vemos durante o dia, diz a fessora.

Misturamos memória e o nosso querer.

Querer? Mas o que é o querer? Pergunta Carolina.

Marieta arrisca: Querer é quando sentimos falta de alguma coisa.

É como quando queremos pintar ou estar com alguém de quem sentimos falta.

Carolina quer saber se entendeu:

Ouço uma música através da percepção. Guardo, através da memória. Lembro, através da imaginação. Toco, através da arte. Sonho, através dos sonhos. Fico feliz, através do sentimento e sinto falta, através do Querer.”

Carolina recebeu um 10. Demonstra que aprendeu a lição.

Mas será que alguém sabe o que é APRENDER?

Aprender é compreender, define Marcello.

E compreender é o motivo pelo qual vamos à escola.

Aprender é memorizar. Pode ser uma aula, uma música, uma equação matemática. Pode ser uma regra ortográfica ou uma palavra em inglês.

Aprender envolve compreensão, atenção e arte.

Querer, memória e emoção.

O que aprendemos, dificilmente esquecemos, porque o que aprendemos fica guardado na nossa memória.

E a emoção, professora, o que é? Pergunta Marisa.


Emoção é a mais difícil de explicar. É quando você sente, faz ou ouve alguma uma coisa que toca o seu coração. Uma descoberta, uma conquista, um sonho a realizar.

A emoção por si só vale toda a explicação.

AVISO


Nem todas as imagens no blog são de minha autoria, se uma delas for sua e não quiser que eu a use, entre em contato que coloco os devidos créditos ou retiro.