segunda-feira, 26 de julho de 2010

Hiperatividade


DDA/H (DISTÚRBIO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO/HIPERATIVIDADE)

 

O que é o DDA/H?

   O DDA/H é um distúrbio neurobiológico crônico, quer dizer, de longa duração, podendo persistir por toda a vida da pessoa, que tem início na infância, que compromete o funcionamento da pessoa em vários setores de sua vida, e que se caracteriza por três grupos de alterações: hiperatividade, impulsividade e 

desatenção. 

O que se entende por hiperatividade?

 

    Hiperatividade é, como o nome indica, o aumento da atividade motora. A pessoa hiperativa é inquieta, está quase constantemente em movimento.

    Se é criança, os professores descrevem que ela se levanta da carteira a todo instante, mexe com um ou com outro, fala muito. Parece que é elétrica, ou que está com um motorzinho ligado o tempo todo.

    Raramente consegue ficar sentada, mas se é obrigada a permanecer sentada, se revira o tempo todo, bate com os pés, mexe com as mãos, ou então acaba adormecendo.

    Dificilmente consegue se interessar por uma brincadeira em que tenha que ficar quieta, mas pelo contrário está sempre correndo, subindo em móveis, árvores, e freqüentemente em locais perigosos.

    Às vezes, nem para comer essa criança consegue sentar, quanto mais para assistir a um programa de televisão ou ler um livro ou uma revista.


O que é impulsividade?

 

    Impulsividade é a deficiência no controle dos impulsos. Podemos entender impulso como a resposta automática e imediata a um estímulo. Por exemplo, se vemos alguma coisa apetitosa, queremos possuí-la. Se alguém nos incomoda ou agride, nosso impulso é afastá-lo ou revidar, agredindo-o de volta.

    Se observarmos uma criança pequena, fica fácil termos uma idéia do que é impulsividade, porque nessa fase a criança naturalmente ainda não desenvolveu nenhum controle dos seus impulsos.

    Somente à medida que a criança cresce é que a educação vai criando freio interno, através de um processo de inibição da resposta imediata.

    É como se, nesse aspecto, a pessoa com DDA/H permanecesse criança, no sentido que suas reações quase sempre são imediatas, sem reflexão.


E a desatenção, como se apresenta no DDA/H?

    A pessoa com DDA/H não consegue manter a concentração por muito tempo, daí que, se começar a ler um livro, na metade da página não consegue lembrar o que acabou de ler. Numa conversa são capazes de perder o fio do assunto. A desatenção é responsável por erros tolos que o estudante comete em matérias que ele seguramente domina, mas que no momento da prova sua atenção caiu.

    Outras vezes, qualquer estímulo é capaz de desviar a atenção dessas pessoas. Assim é que numa aula, por exemplo, basta passar alguém no corredor ou acontecer um ruído na rua para deixar a pessoa perdida em relação ao que está sendo falado pelo professor.

    Algumas vezes a pessoa com DDA/H não é capaz de dar um recado, simplesmente por não se lembrar disso no exato momento em que encontra a pessoa que deve receber o recado.

    Comumente também essa pessoa sai de uma parte da casa para outra a fim de pegar algo, mas ao lá chegar não consegue recordar o que foi procurar.

    O que falha nessas pessoas é um tipo de memória denominada memória de curto prazo ou memória operacional.


O que causa o DDA/H?

   A rigor, não se conhece ainda a causa precisa. Porém, estudos recentes, utilizando técnicas de neuro-imagem, têm revelado que existe uma menor atividade na parte mais anterior do cérebro, chamada de córtex pré-frontal, especialmente no lado direito do cérebro, e também de certas regiões profundas do cérebro que estão conectadas ao lobo frontal.

   Outros trabalhos têm mostrado a maior incidência de DDA/H quando a mãe faz uso de álcool ou fumo na gravidez e quando a criança nasce com baixo peso.


Quais são os sinais de desatenção que o DSM-IV
 menciona?

    A pessoa apresenta com freqüência (não apenas uma vez ou outra) as características abaixo:

    (a)    Deixa de prestar atenção em detalhes e comete erros por descuido em atividades escolares, no trabalho, ou em outra atividades.

    (b)   Tem dificuldade para manter a atenção em tarefas ou jogos. (Muitas pessoas com DDA/H jamais leram um livro até o final)

    (c)    Parece não escutar quando lhe dirigem a palavra. (As mães e esposas acham até que a pessoa é surda)

    (d)   Não segue instruções e não termina deveres escolares, tarefas domésticas, ou deveres profissionais.

    (e)    Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades.

    (f)     Evita, antipatiza ou reluta em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante, como tarefas escolares ou deveres de casa. (O estudante com DDA/H quase nunca consegue fazer os deveres por conta própria, e os adia até a última hora)

    (g)    Perde coisas necessárias para tarefas ou atividades, por ex., brinquedos, lápis, livros. (Nunca sabem onde guardaram as coisas)

    (h)    Distrai-se por estímulos alheios à tarefa. (Basta às vezes o menor ruído que a pessoa perde o que estava fazendo ou escutando)

    (i)      Apresenta esquecimento nas atividades diárias. (Quando recebem um recado, dificilmente transmitem corretamente. Se se lhes pede para comprar duas ou três coisas fatalmente alguma vai ser esquecida)


E quais são os sinais de Hiperatividade

 

    A pessoa apresenta com freqüência (e não apenas ocasionalmente) as seguintes características:

    (a)    Agita as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira. (É característico o balançar constante das pernas ou o bater com a ponta dos pés no chão)

    (b)   Abandona sua cadeira na sala de aula ou em outras situações em que deveria permanecer sentado.

    (c)    Corre ou sobe demais , de forma não apropriada. Em adolescentes e adultos pode se limitar a uma sensação subjetiva de inquietação.

    (d)   Está “a mil” ou age como se estivesse “a todo vapor”. (Nossas avós diziam que a criança parecia que tinha “bicho no corpo inteiro”, que por vício de linguagem acabou terminando em “bicho carpinteiro”)

    (e)    Fala em demasia. (Essas pessoas são maus ouvintes, mas por outro lado são a alegria de uma reunião porque nunca deixam ter um minuto de silêncio)


Sinais de Impulsividade

   A presença freqüente dos sinais:

   (a)    Dá respostas precipitadas antes de ouvir a pergunta inteira.

   (b)   Tem dificuldade para esperar sua vez. (Dizem que o verbo esperar não existe no dicionário dessas pessoas. Não conseguem esperar numa fila de banco, ou quando estão dirigindo um carro. È difícil também que esperem o melhor momento para falar sua opinião, ou para tomar uma decisão qualquer)

   (c)    Interrompe ou se intromete em assuntos dos outros, como conversas ou brincadeiras de outras pessoas.

 

 

Que outros distúrbios se parecem com o DDA/H e podem então serem confundidos com ele?


    Ao avaliar uma pessoa na intenção de fazer diagnóstico de DDA/H, o profissional tem em mente algumas outras condições que podem se confundir com esse distúrbio.

    I.     Situações familiares desfavoráveis, como por exemplo, um casal em briga ou em vias de separação, ou a existência de um pai alcoolista, podem ser a causa para uma criança se apresentar desatenta e inquieta.

    II.   Dificuldades sensoriais, como uma diminuição da audição ou da visão, às vezes ainda não detectadas, são capazes de deixar uma criança desinteressada e desatenta, e até mesmo inquieta.

    III.O uso de certos medicamentos, como certas substâncias usadas para tratar asma ou alergias, também podem provocar hiperatividade. O mesmo se dando com certas intoxicações.

    IV.  Uma pessoa pode ser desatenta, ou então muito inquieta e impulsiva em conseqüência de sofrer de doenças da glândula tiróide.

    V.  Alguns distúrbios psiquiátricos, como a depressão, o distúrbio bipolar, os quadros de ansiedade, com freqüência se confundem bastante com o DDA/H.

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Post útil e serve de alerta. Li no jornal O Globo um dia desses que o excesso de agrotóxicos nos alimentos pode ser causador desse distúrbio, que tem aumentado demais na época atual.

bjs

AVISO


Nem todas as imagens no blog são de minha autoria, se uma delas for sua e não quiser que eu a use, entre em contato que coloco os devidos créditos ou retiro.