quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Autoconhecimento e arteterapia



   Acredita-se que o autoconhecimento se faz durante a vida, mas ouvimos de            pessoas com mais idade as mesmas perguntas que fazemos durante a   adolescência, juventude, idade adulta.
  "Quem sou", "Como sou", "Por que sou assim", "O que devo fazer para mudar".
   Estas questões provocam tristeza, angústia e muitas vezes levam à  depressão e à somatização dessas emoções; então desenvolvemos doenças tais como stress, gastrite, dor muscular. 
   Alguns projetam suas emoções apontando o que o outro deve fazer ou não fazer, e como o outro está errado, desviando assim a atenção para fora de si. Vamos pensar:
   "Você é aquela pessoa que sempre está doente, que pega qualquer gripe nova...", "que não pode ficar sem ter as roupas e sapatos da moda", "que nunca está satisfeito(a) com você".
 E então: nascer de novo seria a solução?
 Se pudesse nascer novamente e tivesse em suas mãos a oportunidade de   se programar geneticamente, como seria?
 O que mudaria em seu corpo?
 O que mudaria em sua psique? 
 Como seriam suas emoções e sentimentos?
 E a vida familiar como seria composta?
 E as escolhas profissionais?
 Bem, temos muitas perguntas, mas você tem todas as respostas?

 Para se autocriar novamente você precisa se conhecer, refletir e interpretar a si mesmo, "separar o joio do trigo", identificar com profundidade por que gosta mais disto ou daquilo em você, compreender por que vai ficar com o trigo e não com o joio. O autoconhecimento é fundamental para o desenvolvimento do amor próprio e fortalecimento da autoestima, consequentemente uma melhor qualidade de vida.
 Para se ter consciência de "quem sou", deve-se inverter o caminho do olhar, ou seja, não buscar fora e sim olhar para dentro, introverter. 
A busca por sabedoria, evolução e conhecimento acaba sempe nos levando ao centro de tudo: ao próprio eu. 
O autoconhecimento pode ser obtido  em ARTETERAPIA.
 Arteterapia?
 Nem pensar, não sei desenhar, pintar... isto é coisa de artista
Você recorda que antes de aprender a escrever, era um grande artista.
 Ah! Mas era criança!
 Quantas coisas deixou de fazer porque cresceu, e esqueceu quem é.

A Arteterapia vai buscar lá no fundo, o seu EU esquecido, adormecido e "empoeirado"; possibilita ao Eu Criativo viver e não ter vergonha de ser feliz. Em Arteterapia não há o certo e o errado, o feio e o bonito. Simplesmente permite experimentar as emoções e sentimentos mais puros.
 Possibilita, cada um ser um, ao entrar em contato com diferentes situações e materiais e transformá-los, retransformá-los infinitamente. Assim, livre de críticas e barreiras, os símbolos do inconsciente emergem trazendo soluções para os conflitos mais secretos.
A Arteterapia traz também para o contexto terapêutico a arte de contar histórias, a arte de ouvir e viver os contos de fada, os mitos, as lendas e rapidamente somos levados pelo imaginário a outros mundos, nos quais somos príncipes e princesas, reis e rainhas, fadas e bruxas, e ao retornar para a realidade logo após o "Foram felizes para sempre", as tensões emocionais do dia a dia estão mais leves.
Liberar o imaginário nos torna mais criativos. E ai você pergunta: "Por que devo ser mais criativo?"
 A criatividade é uma das expressões da psique, faz parte das necessidades do ser humano, e quando não liberada para a arte, para a saúde e para a alegria de viver a vida, pode se transformar em doença.



Fonte:Revista Terceiromilênio On Line 

Nenhum comentário:

AVISO


Nem todas as imagens no blog são de minha autoria, se uma delas for sua e não quiser que eu a use, entre em contato que coloco os devidos créditos ou retiro.