terça-feira, 10 de maio de 2011

Cantoterapia


Recebi um comentário  de uma amiga muito querida(Neusa Fiesta)http://www.deepinfiesta.com/sobre este tema:


CANTOTERAPIA

Achei muito interessante e fui pesquisar a respeito,
pois não tenho conhecimento da técnica.
No site
rapia.htm encontrei uma matéria muito boa,
que explica bem o processo.



Cantoterapia é uma proposta terapêutica que alia o canto, técnicas de aula de canto e musicalização e improvisação ao discurso do paciente. Esse discurso pode estar na fala, no canto, na música que ele sugere ouvir ou cantar e na improvisação, ou até na interpretação de uma letra de música escolhida por ele. Para isso busco na minha vivência como psicóloga e uno ao meu conhecimento de cantora e professora de música.
O processo serve tanto ao autoconhecimento como à superação de obstáculos emocionais e motores.
É indicado para crianças ou adultos de qualquer idade (com dificuldades motora, afetiva ou de aprendizagem e linguagem) ou indicado para autoconhecimento e ou relaxamento.
Tenho pacientes que apresentam dificuldades neurológicas ou pacientes psiquiátricos, nestes casos, a música é um grande meio facilitador da expressão, se não às vezes o único meio. Assim como tenho pacientes que precisam lidar com grandes perdas, como o luto. A música traz lembranças e cria novas expectativas para a vida, reformula novas formas de pensar a vida através de uma letra de música ou da improvisação com novas letras ou novas melodias. Por improvisação entenda-se, na terapia pelo canto, criar uma música na hora, criar a letra e musicar, ou criar só a melodia. Também tenho pacientes que estão divididos profissionalmente, ou sem forças para enfrentar certas situações, eles têm uma demanda de autoconhecimento e buscam se encontrar através da sua escuta, da voz, do discurso, das músicas que ouvia na infância e das músicas que gostam de cantar. Neste caso também utilizo recursos do coaching (trabalho com os pacientes, metas a serem realizadas).

Os recursos para a dinâmica da terapia são buscados na Terapia Cognitiva Comportamental e na técnica vocal aplicada ao canto e em elementos da musicalização.
Os pacientes podem ter qualquer idade desde que haja demanda pela terapia inclusive trabalho com terceira idade e com bebês, e às vezes com toda a família, trabalhando a relação da mãe com a criança.

Como coincidências não existem,cheguei para atender uma cliente que estava de cama.Já até postei sobre o trabalho com ela.
Assim que cheguei ela me pediu pra cantar,tocando seu violão.
Aqui ,no período que estava de cama.

Aqui,um dos momentos que cantamos.
Não é Cantoterapia,mas pela expressão de alegria dela já valeu!




3 comentários:

mundo virtual disse...

Olá amiga eu não conhecia a cantoterapia,também vou pesquisar a respeito,é algo novo para mim,sempre gosto de me manter informado e compartilhar com meus amigos essas informações preciosas!!!
abçsss!!

Sissym disse...

Eu conheço a cantoterapia porque tenho 2 amigas que fazem e testemunharam o valor positivo em suas vidas. Elas sentiram mudanças importantes e se sentiram melhores depois.

Neusa Fiesta disse...

Querida Eloísa, muito obrigada pelo carinho! Fico feliz em saber que meu comentário foi, de fato, pertinente ao magnífico trabalho que vc desenvolve. Use e abuse da Cantoterapia!
Um grande beijo!